Rodman Primack cria um retiro familiar cheio de diversão em Kentucky

Uma antiga fazenda de tabaco se transforma em um paraíso de fim de semana de alta voltagem. Estampas, muita cor e hospitalidade!

Rodman Primack cria um retiro familiar cheio de diversão em Kentucky, talvez o último lugar na Terra que se esperaria encontrar um dos ringues de boxe do designer japonês Masanori Umeda, mas esta fazenda não muito longe de Louisville, abriga um dos exemplares. Mas lá está orgulhosamente esta peça típica da provocação do Grupo Memphis, que teve seu auge nos anos 1980, ancorando a área de estar de uma casa de hóspedes que foi disfarçada como um celeiro vernacular. “É realmente necessário que as pessoas fiquem relaxadas, conversando e pensando de uma maneira diferente, para que entendam nossos objetivos para toda a propriedade”, diz Stephen Reily, que compartilha os quase 400 hectares de floresta com sua esposa, Emily Bingham, três filhos, dois poodles e um fluxo constante de visitantes. A propriedade, agora chamada Indian Bean, tem muitos acres de feijão-da-índia, que cresce em profusão, e justifica o nome escolhido. “Não há nada como passar 18 ou 24 ou 30 horas com amigos ou pessoas que você não conhece muito bem – fazer refeições, passear, nadar, cavalgar”, explica Bingham. “Este lugar moldou profundamente nossa cultura familiar”, completa ela. Como o celeiro, nada é o que parece no retiro idiossincrático de Reily e Bingham, localizado em uma área agrícola despretensiosa. “Queríamos criar nosso próprio mundo”, diz Reily, empresário, colecionador de design italiano do século XX e, a partir de 2017, diretor do mais do que bacana Speed Art Museum de Louisville. Bingham é historiadora do célebre clã de Louisville – ela escreveu a premiada Irrepressible, uma biografia escrita em 2015 sobre Henrietta Bingham, sua avó.  A fazenda foi comprada em 1998, e desde então, melhorias vem sendo feitas, com a ajuda de entre outros, do arquiteto de Houston Garrett Finney, criador da casa de hóspedes. O que parece ser um galpão para trator em metal corrugado ao ar livre é a cabana da piscina, uma das várias obras do arquiteto e fabricante de móveis Roy McMakin. Depois, há a peça central da propriedade, uma casa com telhados de brilho excêntrico que lembrou Bingham de pagodes quando ela colocou os olhos no lugar. “Isso foi muito impressionante e me senti um pouco exótica”, lembra ela, acrescentando: “A estrutura da casa era linda; havia amor no ar”. Pintada de amarelo pastel, a casa esconde a surpresa mais improvável de Indian Bean: quartos envoltos de maneira tão densa em padrões desenfreados que o casal deliciosamente usa a palavra “ridícula” para descrever o impacto. O profissional que assina a decoração é Rodman Primack, designer aclamado com um dos 100 melhores na lista da Architectural Digest, ou simplesmente AD100. Na sala de estar, flores e vinhas pintadas a mão fazem par com a poltrona vermelha e um tapete de listras irregulares. O papel de parede tropical transforma a escadaria em uma selva vertical, enquanto mais de uma dúzia de estampas, tecidos arrojados usados pelas mulheres na África Central e Ocidental, adornam a biblioteca. É uma espécie de leitmotif para Primack: na casa do casal em Louisville, uma fotografia vintage africana de uma mulher em um vestido listrado preto e branco provocou a criação de cortinas que Primack chama de “Southern John Fowler”. A mistura de estampas, acredite ou não, não era o plano original. “Nós começamos a adicionar padrões e foi ficando cada vez melhor”, explica Reily sobre os arredores vibrantes, entre eles uma grande cozinha com paredes de azulejos azuis, brancos e cinza e iluminados por luminárias vermelhas tubulares e arandelas amarelas. Acrescenta Primack, que incorporou peças já existentes, como um sofá revestido com uma estampa botânica de Josef Frank: “Quando é bem feito, todos esses padrões praticamente se tornam neutros em certo sentido”. Mobília e iluminação simples, como as cadeiras Cesca de Marcel Breuer, luzes pendentes de latão suavemente reluzentes de Paavo Tynell – ficam serenas em meio a uma exuberância visual que lembra Charleston, local de reunião do grupo Bloomsbury de Vanessa Bell. Coincidentemente, Henrietta, a bisavó de Bingham, era uma das poucas americanas no círculo de Bloomsbury. Gente moderna desde sempre! 

Rodman Primack: https://www.rpmillerdesign.com/; Josef Frank Fabric: https://www.svenskttenn.se/en/range/textile/fabric/;

Masanori Umeda & Memphis: https://www.memphis-milano.com/collections/masanori-umeda

Papéis de parede: http://www.brancopapeldeparede.com.br/; https://www.wallpaperfromthe70s.com/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *