Minha viagem à Amazônia II

Minha viagem à Amazônia não poderia acontecer sem uma visita a floresta. Desejo antigo, superou minhas expectativas e me fez enxergar, mais uma vez, como o mundo é vasto e lindo. A Amazônia é um lugar mágico, superlativo, e que todos deveriam ir pelo menos uma vez. Como é sabido, a umidade e o calor são intensos, o que faz o banho de rio ainda melhor. No segundo dia da viagem, o transfer para o hotel na floresta, em Novo Airão tem aproximadamente duas horas e meia. No dia da chegada, depois do check-in no hotel Mirante do Gavião, um passeio de reconhecimento pelo rio Negro, com explicações sobre o clima e ecossistema locais, pelo super guia Nádio, um cara forte, gentil e super corajoso. Entrar na floresta alagada, igapó, é uma delícia. Os sons, a luz e as cores são tão  legais que até as crianças que estavam no barco ficaram quietinhas para curtir o momento. Na volta, uma parada estratégica para um mergulho no rio. Surpreendentemente para o volume, a temperatura da água é bem quente e uma delícia. Qualquer carga negativa fica lá, pode acreditar. Todos riam, felizes, dentro do rio. Até quem não sabia nadar pulou. De colete, claro. E só depois confessou que apesar da pouca habilidade, não conseguiu resistir. As 18:30h, saída para a focagem de animais. A tensão é palpável. Apesar da lua quase cheia, não dá para achar um jacaré, objetivo maior, naquela velocidade. Mas Nádio achou. Não só um, mas uma família inteira deles, no meio da vegetação de um igarapé, que é o braço de rio que entra dentro da mata. O barco entrando tanto no meio da vegetação é um pouco assustador, e ver Nádio pulando no rio escuro e voltando com um jacarézinho foi impagável. A excitação foi geral, e alguns de nós, eu incluída, pudemos segurar e tirar fotos com o bichinho, que obviamente foi devolvido à uma mãe não muito contente e que tentou investir contra o barco! Jantar e cama. Outro dos passeios proporcionados pelo hotel é a ida até as Grutas do Madadá, à quase uma hora de barco do hotel, para uma caminhada pela floresta. Nosso guia, Tito, um dos donos do Mirante do Gavião, cresceu na região e forneceu informações detalhadas sobre árvores, cheiros, pequenos bichos e sobre as grutas, que são muito legais. A trilha é bem longa, e na volta, um banho de rio e peixe na brasa. De volta ao hotel, descanso para esperar o jantar, sempre gostoso!   

Mirante do Gavião: http://www.mirantedogaviao.com.br/pt-br/

2 Responses
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *