Libby Callaway

Libby Callaway viveu em Nova York muitos anos. A princípio para concluir sua formação acadêmica na New York University, onde foi assistente de uma das primeiras críticas de música da época e importante jornalista, Ellen Willis. E depois já como contratada do The Post, onde chegou a trabalhar como editora de moda. Callaway viveu na costa leste americana até perceber que não estava feliz, e seus problemas de depressão e alcoolismo estavam fora de controle. Após submeter-se a tratamento, volta então para Nashville, seu lugar de origem. Com o apoio dos amigos e da mãe, Callaway abre um corner, dentro da loja de música Fanny’s House of Music, e após 07 anos, encerra as atividades desta empreitada para se dedicar a novos projetos. Hoje, morando em Nashville, Libby Callaway trabalha como “media consultant”, e usa suas muitas referências para fazer de sua casa um acontecimento.

No living, muitos retratos femininos, cadeiras anos 1970 de acrílico, plantas, livros e objetos. Sobre o sofá, almofada em formato de pêra. A iluminação é feita apenas com abatjoures.

Abatjour em forma de planta carnívora. No braço do sofá, acabamento inusitado.

Garrafa de Coca-Cola assinada por Karl Lagerfeld.

Mala antiga Gucci apoia livros e luminária.

Diversão faz parte do universo Nashville, segundo Libby C.

Mesa lateral recoberta de botões, sofá em fibra dourado, almofadas em estampas e formatos diferentes, e os abatjoures, também difrentes, recebem cúpulas iguais.

Sobre tapete de pele de onça fake, poltrona de fibra natural pintada de dourado com tapeçaria étnica.

Cores e texturas se misturam com graça na decoração de Callaway.

Sofá em couro roxo faz par com a parede pintada de rosa.

Graça ou crítica?

Abatjour com base em formato de coral sobre a estante que abriga revistas.

Na parede, o kitsch em estado puro.

Libby Callaway posa em seu quarto com adereço de cabeça.

O verde oliva é importante e neutro ao mesmo tempo. Ótima cor para o closet. Espelhos ampliam o ambiente, que recebe tapete de patwork.

Os chifres sustentam colares, introduzindo-os como elemento decorativo.

O manequim, da extinta loja de Libby, apoia acessórios.

A consultora de mídia exibe o colete de metal.

theselby.com

fannyshouseofmusic.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *