Experimental Chalet em Verbier, na Suíça

Chalés alpinos são geralmente associados a aconchego vernacular ou glamour ostensivo; não é o caso do Experimental Chalet em Verbier, na Suíça, o mais recente destino do  Experimental Group, que reformula o ambiente acolhedor da hospitalidade alpina através da lente de elegância minimalista e sofisticação retrô. O hotel ocupa um edifício da década de 1950 que foi completamente reformado pelo designer de interiores milanês Fabrizio Casiraghi. Suntuosos, mas não chamativos, elegantes e descontraídos, os interiores do Chalet refletem o luxo discreto de Verbier, que o diferencia de resorts de esqui mais chamativos como St. Moritz e Courchevel. Concebidos mais como um clube privado do que como um hotel, os 39 quartos e suítes do Chalet são complementados pelo primeiro spa do Experimenal Group, por um bistrô comandado pelo reverenciado chef parisiense Gregory Marchand, um bar de coquetéis exclusivo, e o lendário Farm Club, boate mundialmente famosa que opera desde 1971. Com sua localização cênica, clima ensolarado e terreno emocionante – Quatre Vallées possui as mais extensas redes de pistas de esqui nos Alpes – além de uma vibrante vida noturna après-ski, tornando Verbier o local perfeito para o primeiro empreendimento alpino do Experimental Group. Tendo emergido como uma vanguarda na cultura de bares de Paris há uma década, o grupo vem se expandindo organicamente e seletivamente desde então, abrindo restaurantes, bares e hotéis em Paris, Nova York, Londres e Ibiza. O savoir-faire francês do Grupo e o rigoroso senso de hospitalidade estão à vista no Experimental Chalet, que juntamente com um palazzo em Veneza e uma quinta em Menorca são os destinos mais recentes para uma clientela cosmopolita de bon vivants. O design de interiores de Casiraghi combina o glamour modernista dos resorts de meados do século com uma estética contemporânea de elegância minimalista, a fim de estabelecer um estilo descontraído. Madeira natural, laca, azulejos portugueses sob medida e tapetes macios estão em total conexão. Paredes caiadas de branco são enfeitadas com molduras decorativas, lustres de latão e cromo acrescentam toques modernistas, enquanto características como lustres de chifres de veado e flores esculpidas impregnam as áreas comuns com referências alpinas. Complementando as vistas panorâmicas dos picos circundantes, lambris verde-escuros, cortinas grossas de veludo, tapetes em alaranjados profundos e rosas “empoeirados” criam um ambiente acolhedor nos quartos e suítes, enquanto pinturas a óleo vintage, mesas em laca arredondadas e banheiros com azulejos antigos impregnam o ambiente. Bacana à beça!! Coloque na lista! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *