Dicas da minha viagem à Lisboa II

Dicas da minha viagem à Lisboa II!! Andar por Lisboa, ou por qualquer lugar lindo como a capital portuguesa é sempre um prazer e uma alegria. Neste dia fomos ao Castelo de São Jorge, um passeio clássico. Na volta, visitamos a Catedral da Sé e a Igreja de Santo Antônio, onde me emocionei horrores. O Castelo de São Jorge foi construído pelos muçulmanos em meados do século XI. Após a conquista de Lisboa, em 25 de Outubro de 1147, por D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, até ao início do século XVI, o Castelo de S. Jorge conheceu o seu período áureo enquanto espaço cortesão. Os antigos edifícios de época islâmica foram adaptados e ampliados para acolher o Rei, a Corte, o Bispo e instalar o arquivo real numa das torres do castelo. Transformado em paço real pelos reis de Portugal no século XIII, o Castelo de S. Jorge foi o local escolhido para se receberem personagens ilustres nacionais e estrangeiras, para se realizarem festas e aclamarem-se Reis ao longo dos séculos XIV, XV e XVI. Por volta de 1580, adquire um caráter mais militar e depois do terremoto que devastou Lisboa em 1755, construções novas escondem as ruínas, redescobertas no final do século XX, e que podem/devem ser visitadas. Imperdível. Quando sair do Castelo, visite a Catedral da Sé. Datada de 1147, a Sé de Lisboa foi construída no local onde existia uma mesquita, quando o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, conquistou a cidade. O estilo romântico da construção original sofreu transformações ao longo do tempo, e os estilos gótico e barroco foram introduzidos. No século XX o restauro reforçou o caráter medieval da obra, que conta com o claustro, que deve ser visitado. Andando um pouco mais se chega à Igreja de Santo Antônio. Vá! Erguida sobre a casa onde o santo nasceu, foi reconstruída com doações de fiéis após o terremoto. No interior do templo uma escadinha junto a sacristia conduz o visitante à cripta onde ficava o quarto, lugar de nascimento de Santo Antônio. Um painel de azulejos celebra a visita do Papa João Paulo II em 1982, que orou neste lugar quando esteve em Lisboa. O lugar tem uma energia fortíssima, o que prova o quanto este santo, um dos mais populares, era e é poderoso. Independente de sua religião ou da falta dela, é um belo passeio. 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *