Conheça os premiados do Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel

7º Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel divulga os três projetos premiados em suas redes sociais, e inaugura a exposição dos 13 selecionados. No total foram 246 inscrições, provenientes de 14 Estados brasileiros e Distrito Federal. Entre os selecionados, cujas obras farão parte também de um do catálogo, há projetos localizados no Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Ilha de Rei George na Antártica. A seleção foi feita por um júri formado pelos arquitetos Diego Mauro, Elisabete França, Fernando Túlio, Juliana Braga e Pedro Varella. A exposição gratuita acontece até o dia 7 de fevereiro. Com o apoio da Japan House São Paulo, os três premiados realizarão viagens ao Japão para conhecer de perto a tradição arquitetônica do país, que se reinventa todos os dias com soluções cada vez mais inovadoras. A parceria promoveu ainda uma troca de correspondências sobre arquitetura, série que uniu uma das vocações dos dois centros culturais sobre as produções brasileira e japonesa, durante os meses de junho e julho, nas redes sociais de ambas instituições. O Prêmio busca reconhecer e mapear as produções arquitetônicas de destaque na cena contemporânea brasileira, valorizando as formas inovadoras de pensar e construir o espaço social, contribuindo, assim, com o desenho do panorama atual da arquitetura nacional nos seus mais variados contextos. A relação urbana e o comprometimento com o sítio de implantação e a sustentabilidade, bem como a inventividade projetual e construtiva são os critérios fundamentais que norteiam a premiação. O Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel é resultado de uma parceria entre o Instituto Tomie Ohtake e a AkzoNobel, multinacional holandesa que atua nos segmentos de tintas e revestimentos, e se insere nas perspectivas do Instituto, enquanto instituição cultural, ao promover iniciativas no campo da arquitetura, do urbanismo, das artes plásticas e do design. Hardecor noticiou os selecionados e agora, os premiados. Não sou jurada, graças, mas achei que os projetos selecionados representam bastante bem a proposta. Os premiados foram: Academia-Escola / Unileão / Juazeiro do Norte – CE, da Lins Arquitetos Associados, de George Lins e Cintia Lins; Estação Antártica Comandante Ferraz / Ilha Rei George – Antártica, do Estúdio 41 Arquitetura, de Emerson Vidigal, Eron Costin, Fabio Henrique Faria, João Gabriel Rosa e Dario Corrêa Durce e o projeto Requalificação da Colina do Senhor do Bonfim / Salvador – BA, da Sotero Arquitetos, de Adriano Mascarenhas. A Menção Honrosa ficou para Instalação Arquitetura na Periferia – XII Bienal Internacional de Arquitetura São Paulo , SP/Belo Horizonte – MG, da Arquitetura na Periferia, de Carina Guedes e Mariana Borel. A Menção Honrosa:  Sustentabilidade, Quiosque e Abrigo de Canoas, em Mangaratiba – RJ, por Estudio Flume, capitaneado por Christian Teshirogi, German Nieva e Noelia Monteiro. O prêmio Menção Honrosa: Cor, ficou para o Museu da Cachaça, em Salinas – MG, projeto de Jô Vasconcellos. Os outros projetos selecionados você pode ver/apreciar no post de Hardecor sobre o tema. A exposição Mostra Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel acontece de sexta a domingo, do meio-dia às 17h. Onde? No Instituto Tomie Ohtake, localizado na Av. Brigadeiro Faria Lima, 201, no bairro de Pinheiros, em São Paulo. A entrada é pela Rua Coropés, 88. Se é para sair de casa, que seja por um ótimo motivo!!  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *