Apartamento em Bilbao, pelo craque Maximiliano Crovato

Quando o designer de interiores Maximiliano Crovato foi contratado para a reforma deste apartamento no centro de Bilbao, na Espanha, de cara já sabia que a madeira, típica da década de 1960, que cobria o chão, seria preservada. Seu cliente, um homem solteiro que ama arte e cultura e arquitetura e móveis brasileiros, pediu isso como condição sine qua non na reforma, além de uma decoração que refletisse sua paixão pela arquitetura e design brasileiros. “Eu definiria o projeto como um apartamento masculino e contemporâneo, com tons dos anos 1960 tirados diretamente da essência original da casa”, diz Crovato. O apartamento de 80 metros quadrados, de 1966, agora tem uma sala de estar, sala de jantar, cozinha, quarto e banheiro. Nele, o designer de interiores brasileiro imprime seu estilo, no qual as referências à cor e ao Grupo Memphis ficam claras. Durante o trabalho, que durou quatro meses, o piso foi tratado e reassentado, e uma divisória foi instalada na sala, o que modificou a circulação da casa. A iluminação indireta foi usada em todos os ambientes. “De maneira geral, tentamos usar materiais como madeira, metal e vidro, sempre com uma base clara que realça os toques de cor dos móveis e objetos de decoração”, continua o designer de interiores. Crovato adicionou peças de Gido Faleschini, Raymond Loewy, Harvey Guzzini e, é claro, peças de brasileiros, como o banquinho Mocho de Sergio Rodrigues. O designer também integrou perfeitamente ao espaço uma mesa criada por ele, chamada França, de edição limitada. Como não poderia deixar de ser, a casa foi recheada de obras de arte de artistas como Josep Guinovart, Eusebio Sempere Eduardo Chillida. Bem bacana, como tudo o que faz Crovato. Aprecie!

Maximiliano Crovato: https://www.maximilianocrovato.com/; via: AD Espanha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *