A casa linda de Pierre Hardy e Christopher Turnier na Ilha de Saint-Louis

“Assim que cruzamos a porta, sabíamos que aquele era o lugar e que precisávamos de Vincenzo De Cotiis, disse o estilista francês Pierre Hardy , lembrando com nostalgia da época em que ele e seu marido Christopher Turnier (CEO da Pierre Hardy) encontraram o peculiar edifício do século XVII com vista para o Sena na Ilha de Saint-Louis, uma pequena ilha no meio de Paris que agora se tornou o lar de ambos. Eles não esperavam se apaixonar por um lugar tão rapidamente porque Hardy é bastante exigente. Havia apenas algumas ruas em toda Paris nas quais ele queria morar, o que tornava a busca difícil. Mas quando ele viu este apartamento de 185 metros quadrados, que estava totalmente vazio e um pouco bagunçado, ele soube imediatamente que estava cheio de vida: afrescos mitológicos espetaculares cobriam quase cada centímetro de seus altos tetos de quase 4 metros. Apolo, vestido de carmesim e com uma harpa na mão, nos observa do salão. Na sala de estar, Juno, a esposa de Júpiter, e Éolo, o deus grego do vento, descansam nas nuvens, enquanto Aurora, a deusa romana da aurora – resplandecente em meio a uma magnífica mistura de querubins e cavalos – preside outra sala. As obras-primas, atribuídas ao artista Bon Boullogne , mais conhecido por suas pinturas, encontradas em Versalhes e no Louvre, foram um motivo mais do que sério para comprar o imóvel. Hardy, o diretor criativo da Hermès que também desenhou sapatos para Dior e Balenciaga antes de fundar sua própria marca de calçados de luxo (pense em sapatos inspirados em Ettore Sottsass e tênis de sola xadrez), sempre decorou suas próprias casas. Mas para este lugar, tão rica em história, o casal voltou-se para o talento do milanês AD100 Vincenzo De Cotiis – cujo trabalho eles tinham admirado por muito tempo – para trazer os interiores para o século XXI. Hardy ri ao se lembrar da resposta indiferente de Cotiis ao lugar intacto: “Ele olhou em volta e disse: ‘Bem, uh, perfeito. Não há nada para fazer aqui’. Mas a verdade é que havia muito o que fazer.” Mas essa mistura de velho e novo foi o que atraiu o casal a De Cotiis: seu instinto de subtrair, em vez de adicionar; a sua capacidade de reduzir os interiores à sua essência, mantendo intacta a herança do lugar. “O espaço tinha peculiaridades tão marcantes – tão francesas e tão clássicas – que queríamos respeitar sua história”, lembra De Cotiis, surpreso ao ver tetos ornamentados e com afrescos no centro de Paris. “Tentei combinar o estilo contemporâneo de Pierre e Christopher com a atmosfera clássica que as paredes respiravam. Os afrescos são os protagonistas da casa. Portanto, o interior tinha que ser muito mais minimalista.” Uma casa maravilhosa e que você vai conhecer mais no próximo post! Te esperamos!

Vincenzo de Cotiis: https://www.decotiis.it/

Pierre Hardy: https://www.pierrehardy.com/

via: AD Magazine

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *