A casa de campo de Luis La Place, na França

A casa de campo de Luis Laplace, na França é despretensiosa e linda! Arquiteto argentino, Luis e seu sócio e companheiro Christophe Comoy, advogado, fundaram a empresa Laplace em Paris, onde moram. A casa de verão que pertenceu à avó de Comoy comprada há alguns anos pela dupla, foi reformada e atualizada. Localizada na região sudoeste do Midi-Pyrénées, a propriedade, que estava bastante deteriorada, como, segundo Comoy, todas as casas de campo francesas, fechadas no feriado Toussaint (01º de novembro) e reabertas na Paquês (a Páscoa), é hoje usada o ano todo. A reforma da casa, feita de acordo com a filosofia dominante no campo, da calma e paciência, teve cada detalhe tratado com amor e carinho. O casal esperou três anos para encontrar vigas de álamo perfeitamente dimensionadas para o estábulo restaurado, e os projetos em andamento e futuros seguirão nessa linha. “Eu estou sempre tentando preservar a estranheza da casa“, diz Laplace enquanto se abaixa sob um batente inclinado que leva ao quarto principal de Combenègre. “A maneira como a casa cresceu foi muito natural, muito pouco acadêmica.” A parte mais antiga – a caverna, ou adega – data de 1661, o ano em que descobriram gravado no foudre de carvalho, um enorme barril de vinificação. Sob a supervisão de Laplace e Comoy, o foudre foi desmontado e as tábuas se transformaram em uma mesa de jantar no antigo estábulo, que agora serve como uma sala de jantar ocasionalmente. Muitos dos outros móveis da casa são da avó de Comoy, mas foram personalizados para se adequarem à estética do casal. Peças vintage como bustos de cavalos resgatados de velhos açougues, funcionam na casa Combenègre. Uma cabeça de égua de madeira usa uma coroa da Renascença. A escada é decorada com uma coleção de gravuras ornitológicas compradas de um negociante de antiguidades em Paris. Comoy, um amante de pássaros, escolheu apenas espécies que podem ser encontradas nesta região: corujas, orioles dourados da Eurásia, verdelhões e pintassilgos europeus e garças cinzentas. Quando Comoy e Laplace compraram a propriedade, os terrenos em volta da casa eram selvagens. “Nós fizemos muito trabalho com a Caterpillar.” “A maneira como Comoy pronuncia cah -ter-pee-lahr faz com que pareça incrivelmente chique e não como um aparelho de jardim”, diz Chloe Malle, condutora da entrevista para a revista Vogue. O plantio que eles fizeram parece natural. A tília e as faias vermelhas fornecem grossos bolsões de sombra. Comoy apresenta orgulhosamente as árvores que plantou: um cedro libanês, uma jovem acácia, um “sauterelle” ainda bem jovem. Do outro lado da casa, o pomar de macieiras.  As refeições são servidas usualmente no antigo  estábulo, e praticamente todos os ingredientes provêm da propriedade, com exceção das carnes, de criadores locais. A sobremesa, sorvete, é feito na hora. Luxo puro! Voilà! 

 

Luis Laplace: http://luislaplace.com/

via: vogue.com; Fotos: Pascal Chevallier

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *