Eduardo Leme

Jovem economista nos anos 1980, Eduardo Leme passou a frequentar o restrito circuito de arte a convite de amigos e da artista plástica Dora Longo Bahia, sua parente. Leme via o novo interesse como um hobby, útil para aliviar um pouco a pressão do trabalho no mercado financeiro. Atraído pelo trabalho vigoroso de alguns jovens artistas e pelos bons preços, Eduardo começa sua coleção de arte.  Uma viagem à feira espanhola de artes ARCO foi o suficiente para que o economista percebesse a dimensão do mercado, e visitas às exposições de artistas recém-formados na Inglaterra,  os degree shows, ainda como pequeno colecionador, o incentivaram ainda mais. O embasamento teórico é obtido nas muitas leituras e experiências pessoais. Por volta dos 40 anos, Eduardo decide montar uma galeria e convida o arquiteto Paulo Mendes da Rocha para projetar o espaço. Em 2004, Eduardo inaugura sua Galeria Leme representando apenas 06 artistas. Com o crescimento da galeria, Eduardo convida novamente Mendes da Rocha para projetar um novo espaço para a galeria, também no bairro do Butantã, em São Paulo. A inauguração é em 2012. A Galeria Leme conta hoje com quase 30 artistas representados. Eduardo Leme, galerista seriíssimo, concede exclusiva entrevista à Hardecor.

O galerista Eduardo Leme.

 

Hardecor: Que lugar ocupa o Brasil no mercado mundial de arte?

Eduardo Leme: Ocupa um lugar de destaque com seus artistas e produção excelente.

H: Situe, por favor, a fotografia no mercado de arte.

EL: A fotografia pode e deve ser considerada uma forma de expressão artística, tem um mercado forte e sério, como qualquer outro suporte. A Galeria Leme tem em seu portfólio de artistas, fotógrafos nacionais e internacionais renomados, assim como emergentes e talentosos .

H: Existe um perfil do artista brasileiro que o diferencia de artistas de outras nacionalidades?

EL: Não vejo desta forma, como a arte é democrática e livre, e assim é por conceito, não se deve regionaliza-la.

H: O que mudou no mercado de arte nos últimos anos?
EL: A grande mudança foi a profissionalização cada vez maior dos agentes que atuam neste mercado e a proliferação de feiras pelo mundo .

H: Como você identifica um bom artista??

EL: Esta pergunta é bem difícil de responder. Um bom artista tem que ser acima de tudo uma boa pessoa, dedicado e fiel a seus princípios e ideias.

H: O talento pode ser construído ou apenas lapidado? Alguém pode decidir ser artista, como se escolhe ser administrador?

EL: Não entendi a sua pergunta … mas todo mundo é livre para decidir ser o que quiser, todo mundo tem o livre arbítrio.

H: Se você pudesse escolher apenas uma obra de arte, qual seria?

EL: Qualquer obra do Francis Bacon.

galerialeme.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *