A decoração européia de Alex Papachristidis em Nova York II

A decoração européia de Alex Papachristidis em Nova York reflete bastante bem a facilidade do designer, nova iorquino convicto, em transitar pelo clássico sem contudo produzir ambientes austeros ou excessivamente formais. Os projetos de Alex podem ser apreciados em Manhattan, nos Hamptons, Connecticut, Flórida, Texas e Colorado, Londres e Arábia Saudita, entre outros lugares do globo. Ao contrário de alguns designers, Papachristidis acolhe as idéias de seus clientes. “Muitas vezes, os projetos mais interessantes são aqueles em que um cliente esclarecido está intimamente envolvido”, diz ele. Perfeccionista, se dedica com entusiasmo aos detalhes como lençóis sob encomenda e tecidos de alta qualidade. “O maior prazer para mim”, diz Papachristidis, “é quando o cliente diz que transformei sua casa em um “refúgio requintado, um lugar para simplesmente sentar, relaxar e desfrutar.” O trabalho de Alex Papachristidis tem sido destaque em revistas como House & Garden, Elle Décor, House Beautiful, Southern Accents, Hampton StyleNew York Home, e The New York Times. O designer acumula prêmios com a mesma velocidade que conquista clientes e admiradores. No projeto do apartamento que divide com o companheiro, Scott  Nelson, Papachristidis deixa claro suas preferências e seu universo, cheio de estilo.

Artefato em couro e bronze na entrada do quarto.

Os tons de azul e verde, próprios para propiciar tranquilidade, foram escolhidos para o quarto de Papachristidis.

Papel de parede sueco Old World Weavers.

Abatjour Christopher Spitzmiller e objetos queridos na mesa de cabeceira.

A cama com cabeceira de veludo recebe almofadas verdes e uma colcha de algodão Les Indiennes. O espelho sunburst francês é de 1950.

Estantes em latão vintage desenhadas para o apartamento de Cole Porter abrigam a TV e os muitos livros.

Sobre a escrivaninha, vasos em azul e branco e livros. A foto é do filme "Pink Narcissus ", do diretor James Bidgood.

O escritório de Scott Nelson.

Os armários ficam camuflados pelo tecido, que reveste também o mobiliário. Injeção certeira de elegância.

"Never economize on luxuries."

Cadeiras e armário francês século XIX, com painéis Coromandel.

Na escrivaninha de Scott, par de abatjoures John Rosselli com cúpulas Blanche Field com tecido Le Manach.

ONDE ENCONTRAR:

Abatjoures: Christopher Spitzmiller

alexpapachristidis.com

via: New York Social Diary

Fotos: Jeff Hirsch

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *