Vitoriana e colorida, a casa linda de Peaches Freund

Acho que há uma razão para que o preto da cabeça aos pés tenha permanecido uma escolha consistente de alfaiataria ao longo do tempo, e paredes brancas nuas estão em voga desde a ascensão do Modernismo – são fáceis de usar. Quando se trata de se vestir ou “vestir” a casa, a introdução de cores sempre traz um pouco de risco; quanto mais é adicionado, maiores são as chances de que o resultado seja duvidoso. Cores e padrões podem colidir, coisas podem se perder no caos, e combinações que podem parecer maravilhosas no papel podem se tornar terrivelmente desagradáveis na vida real. Um movimento errado, e você pode ser enviado em linha direta para o reino do kitsch. É por isso que é muito legal encontrar pessoas que se arriscam no mundo selvagem das cores, e que conseguem um resultado não só bonito, mas profundamente único e pessoal. Peaches Freund, designer freelancer, é uma dessas pessoas. A casa vitoriana de 1.900 em Evanston, no estado de Illinois, EUA, pequena em tamanho, mas positivamente gigantesca em personalidade, tem aproximadamente 200 m² e a alma de sua dona. Os olhos sempre acham algo para admirar. Cores brilhantes e neon se misturam a padrões ousados; paredes brancas são cobertas do chão ao teto com arte. Objetos que parecem não ter lugar juntos – bolas de discoteca em miniatura em um lustre de cristal ou uma cadeira com estampa de oncinha em uma mesa de bolinhas – parecem estar em casa, formando amizades incomuns que, por algum motivo estranho,  simplesmente funcionam.“O ‘espírito’ do lugar vem do fato de que quase tudo em minha casa é feito à mão ou usado”, observa Peaches. “Fiz muitos trabalhos de escultura na faculdade e, como resultado disso, vejo todos os objetos como portadores de uma certa energia. Quando você começa a considerar a composição original das coisas, o espírito com o qual elas foram feitas, você as valoriza muito mais. Essa é a minha maneira extenuante de dizer que tenho tendências acumulativas”, completa ela. Esta casa foi postada pelo site, hoje desativado, DesignSponge, já há algum tempo, mas achei tão sensacional e feliz que resolvi repostar. A decoração feita com alma, como na casa de Peaches, não importa o quão desconcertante ou estridente, parece ter sido feita com amor e exibido com intenção de acolher, abrigar, ´é sempre linda. “Alguém disse uma vez: ‘Uma casa arrumada é o sinal de uma vida desperdiçada.’ Não sei se isso é verdade “, diz Peaches, “mas não tenho a intenção de arriscar”! Embora ela confesse ter uma queda por objetos dos anos 1980, aqueles que faziam parte dos cenários dos sitcoms da época, esse amor parece desprovido de ironia – é sincero, comemorativo e parece refrescantemente autêntico. “Talvez possa parecer confuso para os outros”, diz Peaches, “mas eles não precisam morar aqui! Minha casa me faz feliz. Eu não trocaria isso por nada no mundo. ” 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *