Uma linda townhouse em Londres, por Beata Heuman

Os proprietários desta casa em Londres convidaram a designer de interiores Beata Heuman para criar uma casa para a família, cheia de diversão, design e cores fortes. Heuman trabalhou em conjunto com o escritório Groves Natcheva Architects para reinventar o imóvel, construído no final do século XIX. A atraente fachada de tijolos, as bonitas janelas guilhotina e a porta da frente em arco, ficaram completamente intocadas. No interior, entretanto, Beuta Heuman (veja post anterior de outro trabalho dela AQUI) criou um espaço altamente original. Os proprietários adoram cores fortes e temas diferentes, que Beata honrou, criando diferentes esquemas em cada ambiente. O resultado é uma casa divertida e inspiradora, sem exageros e que incita o convívio. No living, paredes de um rosa quente são o cenário perfeito para as gravuras de Walton Ford, que parecem ilustrações naturalistas, mas se você olhar de perto, verá que são uma interpretação bem pessoal do tema. A profissional ocultou a televisão em um armário de laca vermelha com portas envidraçadas emoldurando mapas. A mistura do clássico com o divertido e o inesperado sempre funciona. Os proprietários não queriam que fosse óbvio que tinham contratado uma designer de interiores, então Beata Heuman criou um visual em camadas que parece ter sido construído ao longo do tempo. A grande e variada coleção de arte dos proprietários acrescentou uma textura visual importante à decoração. Obras de arte à parte, o esquema é criado com peças de uma ampla variedade de fontes. Era importante para Beata que não parecesse que tudo havia sido comprado do mesmo lugar, por isso ela mesma desenhou parte do mobiliário. Em vez de uma mesa tradicional, a biblioteca é mobiliada com uma mesa redonda e cadeiras, para que também possa funcionar como um espaço  para jantares íntimos. A pintura a óleo ‘Lichen’ da Allbäck, um retrato do século XVIII, confere à sala uma aparência tradicional, temperada com toques caprichosos, como as luminárias de porcelana ‘Felix Original Shell’ da Felix Lighting, lindas. Beata evitou armários de parede na cozinha, pois não queria que a leitura fosse de uma cozinha tradicional ou que parecesse muito quadrada. A paleta de cores, que inclui uma bancada de mármore e um exaustor e ilha de cobre, que vai adquirir uma pátina esverdeada ao longo do tempo, complementam o cenário, de frente para o jardim. A área da cozinha tem várias áreas de estar informais. Embora o lado direito da casa tenha sido construído no final de 1800, o esquerdo foi adicionado muito mais tarde. Esse lado da casa tem um formato bastante estranho, então a solução encontrada foi acrescentar uma lareira e um sofá extra profundo, ideal para ler ou conversar com quem está cozinhando.  Ao longo dos anos, a casa sofreu várias adaptações mal planejadas, o que deixou o layout interno comprometido. A solução foi mudar a escada para o centro da casa, o que deu aos arquitetos do Groves Natcheva uma âncora, em torno da qual a casa flui. A escada foi concebida como uma escultura/palco, para ser admirada. A aparência geral faz alusão à fantástica escada infinita de Penrose, famosa pelas litografias de Escher. Beata adicionou efeito com luminárias pendentes ‘Pernell’ da Arteriors, que imitam as balaustradas sem competir com seu impacto visual. Uma casa super bacana e inspiradora! 

Beata Heuman: https://beataheuman.com/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *