Uma casa sustentável em Hudson Woods

A primeira coisa que você nota na casa de Bill Caleo e Megan Noetzel LeFauve em Catskills é a abundância e o aroma da madeira. “É parte do motivo pelo qual adoro entrar em casa”, diz Noetzel LeFauve sobre o carvalho branco usado em tetos, pisos e marcenaria, sem verniz e impermeabizado com óleos naturais. “Cheira aconchego.” E uma casa aconchegante era o objetivo. Caleo, cofundador da Brooklyn Home Company, uma butique imobiliária, e Noetzel LeFauve, designer de interiores, imaginou a casa como um lugar que funcionasse durante todo o ano para eles, seus filhos e sua família extensa. Além da casa de três quartos, a propriedade inclui uma garagem, que funciona como um grande quarto, com beliches, casa de hóspedes, teatro, piscina e pavilhão de piscina. Há até um lago cheio de peixes-lua, shiners e bass. Parte acampamento rústico e parte celeiro modernista, a casa está localizada em uma comunidade sustentável de 130 acres conhecida como Hudson Woods, idealizada pelo arquiteto Drew Lang, de Manhattan. Caleo se apaixonou pelo design de Lang e pela promessa de voltar à natureza. “Eu sabia que precisava de mais disso na minha vida e queria que isso fizesse parte da vida de nossos filhos. ”Uma grande atração foi o compromisso de Lang com os princípios da casa sustentável, que Caleo honra em seus próprios projetos. Equipada com painéis solares, a casa também é, explica Lang, “orientada para maximizar o ganho solar e permitir a ventilação cruzada, para que você não precise aquecê-la e resfriá-la ativamente”. As janelas têm vidros triplos e as paredes fortemente isoladas, às vezes naturalmente pelo terreno. Muitos materiais foram adquiridos regionalmente, incluindo o carvalho branco FSC (cultivado em uma fábrica da Pensilvânia) e a pedra azul usada para pavimentação (extraída de um depósito no local que então se tornou o lago). Um espírito semelhante inspirou os móveis, supervisionados pela irmã e sócia de negócios de Caleo, Lyndsay Caleo Karol. Para a cozinha, ela trabalhou com fabricantes para criar uma mesa de tampo de mármore com assentos de braço articulado para 12 pessoas. Seu marido, Fitzhugh Karol, um fabricante multitalentoso que faz peças artesanais para todos os projetos da Brooklyn Home Company, contribuiu com o console de entrada, composto de vigas de madeira carbonizadas e com a mesa de jantar do pavilhão, onde acontecem os almoços e jantares com vegetais frescos da horta. Caleo classifica o pavilhão como seu cômodo favorito, que eles usam sempre. “Quando está frio”, diz Noetzel LeFauve, “acendemos uma fogueira, abrimos um vinho e simplesmente ficamos lá”. E eles nunca sabem quando podem ver um falcão abatendo uma presa ou perus selvagens emergindo das árvores. Caleo brinca que o discurso sedutor de Lang o “enganou” fazendo-o pensar que gostaria daqui. Agora ele está grato. “Estar na piscina, apenas estar rodeado por bosques”, diz ele, “é uma sensação incrível.” 

Megan Noetzel: https://meganoetzel.com/

via: AD Magazine

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *