Um castelo francês do século XIX, por David de Decker, do estúdio Neo Thissen

Aos 35 anos, o decorador David de Decker vive em um castelo francês do século XIX, onde a nostalgia reina suprema

“Porque decorar minha casa não era mais suficiente”, diz David de Decker sobre como o estúdio Neo Thissen surgiu em 2009. O designer de interiores belga, que também vende antiguidades, vive em um castelo século XIX na região de Champagne-Ardenne, no nordeste da França. “É tão rural e verde! Eu estava procurando exatamente isso, a imagem idílica do campo para apreciar as coisas simples, como um chá em frente à lareira depois de um dia de trabalho.” Aconchegante, decorado com muitas antiguidades, retratos femininos e masculinos e tecidos exóticos, o imóvel em estilo rústico francês, de 1835, tem 450 m² e recebeu Decker ainda durante a reforma, ainda em andamento. “Eu estava procurando uma casa com um grande jardim, e estava na estrada para visitar um projeto em uma cidade vizinha quando passei por aqui. Eu tive um clique, precisava ver esta construção. Fiz isso e depois de vários telefonemas, comprei. Amei a fachada, mas a parte de trás tinha uma aparência totalmente diferente. E, claro, um enorme número de salas alinhadas ”, explica. “Mantenho no estado original o máximo que posso e tudo o que re/faço é com materiais antigos.” São dois andares: no térreo, hall , cozinha, sala de jantar, banheiros, biblioteca e uma grande despensa. No andar de cima, seis quartos e dois banheiros. A decoração é maximalista, uma combinação da elegância européia do Velho Mundo com olhos e sensibilidade modernos. “Os interiores não são históricos, mas mostram muito respeito pelo passado. Sou clássico, romântico e estético ”, diz De Decker. “Eu definiria meu carimbo como uma aparência de coleção: parece uma compilação de várias gerações, por isso é uma mistura de estilos e períodos, épocas e continentes. Adoro adquirir e colecionar móveis, peças, objetos, desenhos e compro em todos os lugares: leilões, mercados de pulgas, antiquários, pequenas lojas … Decorei esta casa com minhas descobertas”, completa o designer. Também não existem regras para as cores: cada quarto é uma viagem. Alguns deles exibem as paredes originais lascadas e outros receberam pintura. Para a sala de estar, corredores e escadas, um verde cinza sujo com um objetivo claro: “Molduras douradas ficam muito melhores em uma parede escura e nada melhor do que madeira quente no chão para receber tapetes iranianos”, explica Decker. Os séculos XVIII e XIX são protagonistas deste castelo que parece parado no tempo. Cada quarto recebeu um tom e também um estilo: há um quarto Império, um Louis XV, outro Louis XVI … cerâmicas de Delft, veludos e brocados suntuosos, bustos, lustres , espelhos dourados e lareiras. “Esta casa tem muita alma, é um velho imóvel que precisa de atenção e amor para voltar a ser bonito”, conclui com simpatia. Objetivo atingido. Aprecie!!

via: revistaad.es

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *