“The Imperfect Residence”, projeto de Nelson Chow em Hong Kong

Projetado por Nelson Chow, com escritório de arquitetura baseado em Hong Kong, NCDA, o “The Imperfect Residence” é um apartamento de um quarto recentemente remodelado, também em Hong Kong, e é lindo, um paradigma de perfeição doméstica. O título, no entanto, faz referência sucinta à luz orientadora do designer, a saber, a antiga filosofia japonesa Wabi Sabi, que se baseia em encontrar a beleza na imperfeição e valorizar a simplicidade. Traduzidos para a linguagem do design de interiores, esses princípios produziram uma residência de elegância discreta e minimalismo contemporâneo, onde tudo é perfeitamente integrado ao tecido do edifício e onde geometrias arrojadas são combinadas com materiais em seu estado inacabado natural. Seguindo a filosofia de origem japonesa no design de interiores, o apartamento é configurado como uma jornada cerimonial de três etapas: Sculpture GardenSanctuary, e AltarConectados por passagens mais escuras, os três espaços principais são arejados e luminosos, projetados holisticamente como composições concisas. Entrando por um vestíbulo escuro em madeira, a sala de estar inspirada em um jardim de esculturas apresenta paredes de gesso, piso em madeira incrustado com peças de mármore e metal oxidado e espelhos em mármore preto e cinza que formam um cenário “paisagístico” em ambiente eclético que conta com elementos esculturais. Da deslumbrante mesa de jantar de latão e mármore, ao candelabro de bronze adornado por pedras semipreciosas e lustre de bronze e lanterna de porcelana, ambos do estúdio de design Apparatus , com sede em Nova York, até a placa de bronze que funciona como uma alça para abrir o armário escondido da televisão, todas as peças compartilham uma linguagem geométrica arrojada e uma materialidade sutil e tátil. Atestando o etos minimalista do designer, todas as unidades de armazenamento são ocultadas por painéis dobráveis inspirados na tela shoji, perfeitamente integrados às paredes, enquanto o aparelho de áudio é oculto pelo espelho do degrau de mármore que percorre toda a sala. A abertura de um dos painéis revela a entrada do Santuário. Alcançada através de uma plataforma elevada revestida de madeira, inspirada no conceito de genkan – uma entrada tradicional japonesa que separa o mundo exterior – a área de dormir é dominada por uma grande janela que ilumina um conjunto harmonioso de geometrias e materiais. Outra porta escondida, essa no final da passagem elevada, leva ao Altar, a saber, o vestiário e o banheiro principal. Envolto por uma paleta de mármore e gesso, o espaço é um lugar de serenidade e reflexão. No banheiro, mármores diferentes revestem e acomodam armário, uma banheira generosa, chuveiro e demais peças. Como o resto do apartamento, o banheiro não é apenas bonito e funcional, mas também parece um oásis. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *