Tetos em madeira, em alta total

Quem visitou a CASACOR São Paulo 2019, a Hotel Design e outras mostras de decoração pelo Brasil observou o grande número de projetos que utilizam tanto os painéis de madeira em HDF, como as Lâminas Alpi, ou soluções produzidas por marcenarias, como painéis ripados. A tendência se justifica em função do aconchego e beleza que este recurso agrega aos projetos de interiores, permitindo a criação de nichos e outras soluções que integram o mobiliário. Um exemplo é o projeto “Casa Grão por Starbucks At Home”, desenvolvido pelo escritório Très Arquitetura para a CASACOR São Paulo 2019. O conceito criado pelas arquitetas Fernanda Tegacini, Fernanda Morais e Nathalia Mouco, de um espaço intimista e moderno, belo e sofisticado, foi reforçado pelos acabamentos, em especial, a madeira, presente em muitos dos projetos do escritório. “Usamos para camuflar portas e dividir espaços, por exemplo. Apostamos no desenho de marcenaria como o nosso diferencial, basicamente 90% do que criamos é baseado nessa criação!”, contam as profissionais. Na CASACOR São Paulo, “a nossa ideia principal era trazer o aconchego da madeira para o projeto. Usamos materiais frios como porcelanato, mármore e a leveza da estrutura metálica, portanto queríamos trazer um contraste com esses elementos, além disso, apostamos também em um diferencial para uma parte que geralmente é branca (como o teto) e passa despercebida. Fizemos um projeto luminotécnico para que não houvesse nenhuma intervenção e a madeira ficasse em destaque”, explicam. As profissionais ainda dão dicas valiosas na aplicação de madeira nos projetos:
. Nunca usamos madeira no teto e na parede quando o piso também é de madeira, a não ser que seja uma intenção e um conceito do projeto, porque fica muito carregado e fechado. Então, é sempre importante buscar um equilíbrio. Uma vez que a gente tem o piso de madeira, tentamos eventualmente trabalhar com os painéis de madeira, mas sempre intercalando com painéis pintados em laca e com o teto claro, para trazer esse equilíbrio.
. Quando o piso é frio, pode abusar do uso dos painéis nas paredes e também no teto. O segredo é achar um equilíbrio entre os materiais. A madeira traz uma sensação de aconchego, mas também pode trazer uma sensação de diminuição do espaço e pouca iluminação. Também é importante levar em consideração os outros acabamentos usados no piso, a dimensão dos ambientes, luminosidade e o conceito do projeto em si. A gente tenta não usar folha de madeira em ambientes de áreas molhadas, porque a manutenção tem que ser mais efetiva, então nas áreas molhadas costumamos trabalhar com MDF Ultra, que é um MDF mais resistente na parte interna (nas caixas dos armários) e na frente também. Quando usamos folha de madeira, sempre avisamos os clientes que precisa haver um cuidado especial, porque água e madeira não conversam.
. É necessário um alinhamento da madeira com a paleta de cores e com o conceito do ambiente. Por exemplo, em um espaço mais sóbrio e mais elegante, optamos por uma madeira mais escura, que traz esse conceito. Se o projeto é mais jovem, mais descolado, usamos por uma madeira mais clara que também combina melhor com esse conceito. Gostamos muito de trabalhar com as madeiras que têm o fundo de base cinza. Por exemplo, a Nogueira Americana, o Carvalho Americano e, em alguns casos, o Freijó (mas o Freijó às vezes tem uns nózinhos na madeira e puxa para um tom amarelado ou mais vermelho).
O tamanho e a quantidade de iluminação dos espaços onde devem ser instaladas as paredes de madeira também precisam sempre ser considerados. Os espaços pequenos e com pouca iluminação, por exemplo, ficam melhores com madeiras mais claras. Já espaços maiores podem receber as mais escuras.
Dicas anotadas!!! 

Tres Arquitetura: https://www.tresarq.com.br/; Laminas Alpi: https://www.sayerlack.com.br/laminas-alpi

Fotos: Evelyn Muller. Historias de Casa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *