A Single Man, filme de Tom Ford

A Single Man, filme de Tom Ford, que em português foi traduzido para “Direito de Amar” é um filme lindo, que nem de longe parece o filme de um estreante, caso de Ford no papel de cineasta. Estilista a frente da Gucci por 10 anos, com carreira de peso e um dos nomes mais importantes no mundo da moda, Ford é antes de tudo um esteta, e foi  com seu olhar certeiro que teceu as imagens do filme. As cores, cenários, a luz, os óculos do protagonista, Colin Firth, em brilhante atuação, o nó da de sua gravata, os vestidos/roupas de Julianne Moore em contraste com seu cabelo ruivo, tudo é pensado e estudado para causar forte impressão. E causa. A fotografia do filme é simplesmente incrível, o que só aumenta o prazer de assistir o longa, baseado em um romance semi autobiográfico do britânico Christopher Isherwood, que causou polêmica ao ser lançado, em 1964. A sinopse percorre um dia de um professor universitário, homossexual, que passa todo o tempo digerindo a morte do companheiro, com quem viveu por 16 anos. O filme é praticamente um monólogo de Colin Firth, que conta com a coadjuvante de luxo Julianne Moore e o ator revelação adolescente Nicholas Hoult, que se envolve com o professor enlutado. George Falconer, personagem de Firth, tem que descobrir qual o futuro, ou a ausência dele, para o resto de sua vida. O filme não é novo e continua ótimo. Vale como aula de decoração.Veja.

"Direito de Amar", filme de Tom Ford.

Julianne Moore, linda no filme. O turquesa foi bastante usado por Ford para contrastar com o cabelo ruivo e a pele clara da atriz.

via: uol

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.