O decorador Patrick Mele amplia a casa de um casal em Londres com cores e padrões picantes

Com tons suculentos, padrões e vibrações do Oriente Médio, Mele eletrifica o apartamento londrino

A Cheyne Walk, em Londres, é uma estrada histórica paralela ao rio Tâmisa, e conta com paisagem urbana tranquila e algumas placas azuis da herança inglesa incorporadas em várias fachadas. As casas e prédios de tijolos vermelhos estilo Georgiano e Rainha Anne tiveram companhia estrelada do quilate do pintor James Abbott McNeill Whistler, do dândi Christopher Sabbs,  do ator Laurence Olivier e alguns dos Rolling Stones, além da linda Marianne Faithfull. “Todo o Chelsea é um conto de fadas para mim”, diz Patrick Mele, decorador que mora em Nova York, convidado pelo casal de ingleses para decorar o apartamento londrino, depois de uma bem sucedida parceria no apartamento novaiorquino. Sara Tayeb-Khalifa e seu marido, Hussein Khalifa adoraram a decoração de Mele no apartamento de um quarto em seu apartamento em Manhattan, e já haviam percebido que precisavam de ajuda também para o imóvel em Londres, que possuíam desde os anos 1990. “Eu até fiz uma tentativa, mas nada combinava”, explica o elegante Tayeb-Khalifa, ex-executivo da Phillips que está, agora, trabalhando em parceria com a designer de moda sustentável Jussara Lee em coleções de roupas, T-shirts e almofadas. “Eu queria fazer um lugar feliz: cores felizes, lar feliz”, completa. Para isso, as reuniões com Mele foram recheadas de referências ao universo da loja super descolada Miss Havisham, e aos tetos de velhos bistrôs franceses, manchados “de uma cor que lembra cigarros, vinho, álcool ruim e mais cigarros”, diz Tayeb-Khalifa com uma risada. Os antecedentes do casal também provaram ser um trampolim estilístico: ela é iraquiana-síria nascida em Beirute e criada em Londres, enquanto ele é um financista egípcio nativo que fala sete idiomas (malaio entre eles) e está se tornando adepto do combate de espadas japonês. A estética da família também influenciou as escolhas cliente/profissional. A mãe de Khalifa era cliente de dois decoradores do Oriente Médio, Alidad e John Stefanidis, conhecidos por suas paletas terrosas. Acrescente a isso a própria admiração de Mele pelos suculentos esquemas de cores dos designers britânicos David Hicks e Geoffrey Bennison. Saiu o bege, bege e o marrom e entraram framboesa, chocolate, cerceta (verde azulado), laranja e ameixa. “A repaginação foi completa, conta Mele do quarto andar, no prédio da década de 1880 onde moraram Henry James, TS Eliot e Ian Fleming. A narrativa de renovação que ele e os clientes criaram era de uma decoração rica, em camadas, para sugerir que o apartamento estava na família há 80 anos e que a cada década recebia mais alguns elementos, que as vezes nem combinavam muito bem. Como explica Mele, o efeito é “um pouco de mau gosto, um pouco fabuloso e com muitos livros”. Arandelas de latão básicas no hall sugerem os anos 1970, enquanto papéis de parede coloridos sugerem datas de instalação que vão desde o art déco até a era de aquário. O tapete chinês vintage pertencia à mãe de Tayeb-Khalifa, assim como outros móveis, agora reinventados com tecidos e tintas. “É rude se livrar das coisas das pessoas”, diz Mele. “Os clientes levaram uma vida antes de trabalharem com você, portanto, ditar o que deve ser jogado fora não é a melhor abordagem.” Quanto aos lustres de cristal vermelho do salão, eles parecem herança, talvez trazidos da Índia, mas Mele realmente os adquiriu em uma loja na King’s Road. O humor, de fato, é um leitmotiv nessa decoração em Londres. O apartamento em forma de L não recebe muita luz natural, exceto por algumas horas brilhantes no final da tarde. “Hussein tem uma vida agitada, Sara tem uma vida agitada, e sempre há muita coisa acontecendo”, diz Mele. “Eles passam um tempo aqui de manhã e voltam à noite. Então, eu trabalhei pensando nisso, em uma decoração para ser aproveitada à noite.” Amigos como o estilista Duro Olowu (“Ele influencia muito meu estilo”, diz Tayeb-Khalifa) e o fotógrafo Miguel Flores-Vianna, chegam para tomar um drinque ou jantar. Cortinas feitas de saris brilhantes vintage, um manto espelhado e robusto – lembrando um no apartamento de Paris de Yves Saint Laurent e Pierre Bergé – e obras de arte emolduradas em dourado brilham suavemente enquanto conversas sobre tudo, de livros a política, acontecem, e a cachorrinha dos clientes, Stewie, adormece em uma almofada. “Este não é um ambiente de roupas de ioga e suco verde”, diz Mele. “Era para ser um lugar para passar um tempo fascinante”. Tayeb-Khalifa acrescenta: “Há capricho, charme e mistério – esta é a minha casa de sonho.” Lindo, adorei!!

Patrick Mele: https://patrickmele.com/

https://www.misshavishamscuriosities.com; via: AD Magazine

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *