O corno de si próprio e outros contos, livro de Sade

“O corno de si próprio e outros contos”, livro de Sade, foi organizado e traduzido por Plínio Augusto Coêlho e ditado pela Hedra. Donatien Alphonse François de Sade nasceu em Paris em 1740 e morreu em Charenton-Saint-Maurice em 1814, portanto há exatos 200 anos. Conhecido como Marquês de Sade, foi escritor, filósofo e provavelmente o mais comentado (e odiado) libertino de sua época. Filho único de uma influente família aristocrata, o marquês foi perseguido por suas ideias e atos de devassidão e passou 27 anos de sua vida na prisão. Sua obra, marcada pelo estigma da crueldade, perversidade e pelo ateísmo, foi  quase toda escrita durante esses períodos de encarceramento. Execrado em sua época, Sade foi objeto de estudo de vários intelectuais e escritores no século XX, como Jean Cocteau, Barthes e Simone de Beauvoir, entre outros, que o redimiram. “O corno de si  próprio e outros contos” reúne dez histórias que tratam de forma mordaz e cômica dos desvios de comportamento sexual de indivíduos que publicamente professam uma moralidade rígida e recatada. Mais atual, impossível. Fininho e engraçado.

Capa do livro "O corno de si próprio e outros contos, do Marquês de Sade.

Capa do livro “O corno de si próprio e outros contos”, do Marquês de Sade.

ONDE ENCONTRAR:

hedra.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.