Mont Saint Michel, na França

Mont Saint Michel, na França, ao contrário do que possa parecer, não é um castelo, mas uma abadia. O vilarejo medieval, cercado por uma muralha, dá acesso à abadia que dá nome ao monte, e recebe mais de dois milhões e meio de turistas por ano, o que faz deste o terceiro dos pontos turísticos mais visitados do país. A paisagem é espetacular. Becos ultra estreitos, belos jardins, escadas aos montes e um cemitério super bonito, se é que se pode ou se deve dizer isso de um cemitério. Além é claro de muitas lojas de souvenir, boas, por sinal. Os restaurantes são bem turísticos, reserve quando chegar. O objetivo é a visita à Abadia, então encare como prioridade, pois o horário é restrito. Se for a partir de Paris, vale bem a pena ir com um guia, de carro. São  03 horas e meia de viagem, e ainda tem a volta, claro!! Um motorista que seja também guia faz diferença, acredite. Ou, se você estiver com tempo, passar uma noite dentro das muralhas vai proporcionar momentos exclusivos, já que a horda de turistas já terá partido, e o vilarejo será (quase) só seu! A história da abadia começa provavelmente em 708, quando Aubert, bispo de Avranches, mandou construir no monte Tombe um santuário em honra de São Miguel Arcanjo (Saint-Michel). No século X os monges beneditinos instalaram-se na abadia e uma pequena vila foi-se formando aos seus pés. Durante a Guerra dos Cem Anos, entre França e Inglaterra, o Monte Saint-Michel foi uma fortaleza inexpugnável, resistindo a todas as tentativas inglesas de tomá-la e constituindo-se, assim, em símbolo da identidade nacional francesa. Após a dissolução das ordens religiosas, durante a Revolução Francesa, entre 1789 e 1863, o Monte foi utilizado como prisão. O monte é ligado ao continente através de um istmo natural, que hoje tem uma passarela/estrada/ponte, acessível apenas para veículos autorizados. Um veículo, “shuttle”, leva os turistas até o Monte, e os deixa, por alguma razão misteriosa, à muitos metros da entrada, mesmo debaixo de chuva intensa. Leve uma super capa e um guarda chuva reforçado. Provavelmente você vai precisar… Um fenômeno da região, em alguns dias do ano, a maré vem de maneira tão violenta que em pouco mais de uma hora alaga a planície que cerca o Monte. Esse fenômeno faz com que a vegetação que cresce no local seja salgada, e as ovelhas adoram. O capim já brota temperado. Por isso, a carne e o leite desses animais ganham um sabor todo especial, conhecido como “pré-salé” ou pré-salgado, naturalmente um prato típico do lugar. Chamado de “la merveille”, a maravilha, o Mont Saint Michel foi declarado “Patrimônio da Humanidade” pela UNESCO, em 1979. Vá! De capa, ok? 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *