Green House, em Berlim

Green House, em Berlim, ou Mansão Verde, uma das vilas construídas pelo arquiteto alemão Albert Gessner (1868-1953), prima pelo majestoso e opulento. Fachada ornamentada, colunas, portas e janelas especiais, entrada impressionante e refinamento é o que se pode esperar da construção de 1905. Hoje o apartamento faz lindo pano de fundo para a coleção de arte contemporânea de Samia Max Hetzler. O mobiliário, que Hetzler pretendia que funcionasse como apoio as obras de arte, é igualmente importante.  A predileção pelo Sécession vienense da década de 1960 fica clara, e a companhia ilustre é de vários dos designers mais importantes do século XX, como Josef Hoffmann, Charlotte Perriand, Pierre Chareau, Jean Prouvé, Joaquim Tenreiro, George Nakashima, Franco Albini, entre outros feras, confere dose extra de charme a decoração. A coleção de arte inclui artistas como Martin Kippenberger, Albert Oehlen, Bridget Riley, Kara Walker e Thomas Struth. Paredes brancas recebem mobiliário e arte com extrema elegância.

erereegrge

Conhecida como Green House, a casa em Berlim é de 1905.

2_jpg_5384_north_700x_white (Copy)

Os cacos de espelhos fazem alusão a obra The Lady from Shanghai, de Orson Welles.

3_jpg_4842_north_700x_white (Copy)

Pequeno sofá dinamarquês Viggo Boesen de 1940, sofáoff-white inspirado em modelo de Jean-Michel Frank, obra de Bridget Riley.

Green house

Entrada suntuosa e rica, característica das casas do arquiteto Albert Gessner.

5_jpg_1930_north_700x_white (Copy)

No hall de distribuição, na parede a direita, uma série de desenhos de Andy Warhol, Louise Bourgeois, Roy Lichtenstein, Mona Hatoum e Ellen Gallagher. Lustre de Murano dos anos 1960 e tapete assinado pelos artistas libaneses Joana Hadjithomas e Khalil Joreige. O teto é original da construção.

6_jpg_1115_north_700x_white (Copy)

O quarto amarelo recebeu tela de Günther Förg (Galerie Max Hetzler) e tapete Isola e Gabetti. Cadeira Jean Prouvé de 1940, pequena cômoda Florence Knoll e luminária Vittorio Vigano de 1961.

7_jpg_33_north_700x_white (Copy)

Luminária de Lisa Johanson Pape, de 1948, armário Koloman Moser e Josef Hoffmann, de 1904, e colcha Jennifer Shorto.

O luxuoso banheiro, todo em mármore.

O luxuoso banheiro, todo em mármore.

Fotos: Matthieu Salvaing

via: AD Magazine

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.