Dois dias em Coimbra, Portugal. Dia I

Portugal é um país para ir muitas vezes. Lindo, bucólico e também muito moderno, oferece tudo o que um turista busca.

Coimbra é uma cidade que funciona em torno da universidade, mas tem outros ótimos pontos de atração. A primeira coisa que você tem que saber é que um sapato ultra confortável com sola de borracha, firme, é imprescindível, pois as ladeiras são íngremes e inúmeras. Ficamos em um hotel simples mas bem satisfatório, o Oslo, na Avenida Fernão de Magalhães, perto de tudo, e começamos pela universidade. A Biblioteca Joanina é linda mesmo, mas não pode ser fotografada. Ouro do Brasil e inspiração oriental nos painéis em chinoiserie que levaram 40 meses para serem finalizados pelo artista Manuel da Silva revestem as estantes. Hoje a biblioteca não é mais usada como tal, e apenas os morcegos, já uma lenda, usufruem ininterruptamente do local. Os morcegos vivem lá e comem os insetos, especialmente traças, que destroem os livros, preservando-os. Parece mentira, mas não é, e alguns tem até nome! A capela de São Miguel, também imperdível, é maravilhosa, e em todos os domingos é rezada uma missa no local. Fundada em 1290 e instalada definitivamente em Coimbra em 1537, a universidade tem ainda a Sala dos Capetos, onde são realizados os principais atos da vida da universidade, como a abertura solene do ano letivo. Na sequência, a torre, de onde se pode ter uma vista linda do rio e do entorno. A bilheteria funciona em um prédio com lindas esculturas art decó. As salas de aula tem painéis de azulejos muito bonitos. Vale muito a visita. Vá!

Universidade de Coimbra: http://www.uc.pt/

Hotel Oslo: http://www.hoteloslo-coimbra.pt/

2 Responses
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *