Dener – O Luxo

Publicado originalmente em 1972 e reeditado pela Cosac Naify, o livro “Dener – O Luxo” foi escrito pelo próprio estilista. Classificado como autobiografia, o que Dener não confirmava, e dizia: “Se fosse uma biografia, eu falaria mais de meus filhos e lembraria muitos bons momentos de meu casamento… por enquanto, vamos ficar nos fuxicos”. Dener Pamplona de Abreu foi o primeiro estilista a vestir uma primeira dama, Teresa Goulart, que virou musa e amiga íntima. Jurado no programa Flávio Cavalcanti, determinava o que era “luxo” e o que era “lixo”, e seguramente sabia bastante de marketing pessoal. Figura lendária, Dener protagonizava histórias saborosas e exageradas, que ninguém, amigos ou imprensa ousavam contestar. Fazia vestidos para as mulheres elegantes e ricas, que iam a bailes promovidos pelo próprio Dener para vender então mais vestidos. Autor de pérolas como: “Eu gosto de gente, mas acho multidão sempre cafona. Multidão só é boa quando aplaude”“É muito difícil para um esteta do meu nível, que precisa estar rodeado de pessoas bonitas, viver bem casado”, Dener marcou uma época.  Bem relacionado, eclético e generoso foi tema de matéria na Paris Match, revista francesa, com o título: “O homem mais esnobe da América do Sul”. Morreu desenhando vestidos na Rua São Caetano em São Paulo.

Capa da reedição do livro “Dener, O Luxo”.

Dener Pamplona de Abreu.

editora.cosacnaify.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.