Birgit Lohmann

Birgit Lohmann,  é CEO do Designboom,  eleito em 2007 pela Time Magazine, um dos 100 mais importantes sites de arquitetura e design da atualidade. No papel de editora chefe, Lohmann divide, em viagens pelo mundo, impressões,  tendências e assuntos do universo do design e arquitetura.  Alemã radicada em Milão, onde vive com a família, Birgit trabalhou com grandes nomes, como Achille Castiglioni, Vico Magistretti e Enzo Mari, um de seus designers preferidos. Em 1999, ano de fundação do site, quase não havia tecnologia e demanda para revistas on line, e Birgit e Massimo Mini, seu marido e co-fundador do Designboom, faziam praticamente tudo sózinhos. Hoje, colaboradores baseados em Milão e 10 editores internacionais, fazem do site um sucesso, com mais de 4,2 milhões de acessos por mês. Concursos de design atraem profissionais do mundo inteiro, e os projetos que não obtêm prêmios, são integralmente respeitados e devolvidos à seus donos. No  Brazil pela primeira vez, Birgit Lohmann concede longa e exclusiva entrevista à Hardecor.

Hardecor: Quais revistas de decoração você lê, normalmente?

Birgit Lohmann: Eu não leio. Eu folheio, sou bastante visual como a maioria das pessoas. Quando leio, são monografias. Eu gosto muito quando revistas se concentram em um tema e o elaboram. Art Decor, Vogue, e outras de arquitetura e decoração de interiores, mas eu gosto de tantas revistas que não poderia te falar uma em especial.

H: Você conhece alguns designers brasileiros?

BL: Os Campana,…eu tenho publicado muitos, mas de memória agora eu não poderia te dizer.  Também me lembro de Márcio Kogan, do Studio mk27.

H: O que pensa do Brasil?

BL: Ah! Isso é muito difícil. [Risos] Ok, ontem foi o meu primeiro dia em São Paulo

H: É a sua primeira vez no Brasil?

BL: Minha primeira vez no Brasil. Porque eu viajo para muitos, muitos países, e o Brasil sempre tem sido um dos meus lugares favoritos, mas estranhamente nunca tive oportunidade de vir. Fiquei muito feliz em ser convidada e o meu primeiro dia em São Paulo foi muito lindo porque eu fui ao cinema, eu fui ver o mercado…

H: …Municipal.

BL: ….Municipal. E eu subi uma torre…é um banco agora. É próximo ao Mercado Municipal.(provavelmente prédio do Banespa). Eu consegui ver como São Paulo é grande. Realmente é imenso. Nunca imaginei que fosse tão grande. E também fui a um Clube Cultural ouvir samba de vila. Porque europeus realmente gostam do seu talento musical. Também visitei muitos outros monumentos e lugares. Pude ver o trabalho de um arquiteto japonês que fez um hotel que se parece com uma melancia, como é o nome?

H: Hotel Unique, do arquiteto Ruy Otake.

BL: Isso, Unique. Fui para onde todos os turistas vão, mas tudo no primeiro dia – foi bastante emocionante.

H: Você gostou?

BL: Muito, muito mesmo. Eu gosto do ambiente e as pessoas são simpáticas. A comida é excelente. Estou ansiosa por mais três dias aqui. Eu já tenho algumas visitas agendadas em escritórios de arquitetos e estudios, para conhecer pessoas.

H: Quem faria um projeto para sua casa?

BL: Um projeto para minha casa? Eu, eu mesma! [risos]

H: Um outro designer.

BL: Meu designer favorito é Enzo Mari. Tenho trabalhado com ele por tantos anos e ele é muito, muito bom, mas é uma pessoa mais idosa, então não está envolvido tanto com design como antes. Gosto de muitos, e é difícil escolher um…

H: O que é bom design para você?

BL: Um objeto bem pensado. Algo que faz sentido. O produto faz diferença e têm excelência, sentido, quando você usa menos material, menos energia, quando o produto é resistente, pode durar muito tempo, quando é agradável e pode ser incorporado à seu estilo de vida facilmente. Prefiro algo que não seja muito caro, porque pode ser assimilado por muitas pessoas. Obviamente existem muitas coisas lindas mas muito caras. O design industrial está ligado à distribuição em larga escala. É mais interessante se o produto tem um preço accessível. Eu acho que é como arte. As pessoas falam: “A arte morreu”, e depois vem um novo artista que aborda a mesma coisa de uma forma ligeiramente diferente, e tudo muda. O mesmo acontece com o design. Nós temos tantas cadeiras. Porque nós quereríamos outra cadeira? Mas você encontra alguém com uma ideia ligeiramente diferente e é maravilhoso. Isso é muito impressionante.

H: Qual é a tendência na decoração e arquitetura hoje?

BL: Nós, do Desingboom,  desenvolvemos junto com uma empresa francesa baseada em Beijing  de nome Vision, pesquisas sobre tendências, e chegamos a 04 macro conceitos. Energético (Energetic), aponta para a conexão com a natureza, luz natural e formas simples. Nostálgico (Nostalgic), trata da valorização do artesanal, porém moderno e cosmopolita. Inspirado na década de 1950, traz a mistura entre o moderno e o antigo. A publicidade da Hermès é um bom exemplo. Bricalhão (Playful) aparece nas lembranças de infância e experimentação, e Misterioso (Mysterious), é o clima criado pelo jogo de iluminação, pelo claro-escuro, objetos e ou mobiliário com formas intrigantes e surpreendentes.  Acredito que em 2014 esses quatro temas serão vistos nos objetos e projetos.

H: Birgit, muitíssimo obrigada.                                                    

BL: Obrigada pelas perguntas e entenda que não posso dizer tudo que queria dizer! Parabéns e fique em contato.

designboom.com

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *