A casa na Austrália do arquiteto John Wardle

Emoldurada por árvores e olmos imponentes, está a Casa Kew, de John e Susan Wardle. Originalmente projetada por Horace Tribe em 1951, a casa está agora bem diferente, depois de passar por duas modificações provocadas por um descuido que resultou em uma infestação de cupins. John e Susan aproveitaram a “oportunidade” para readequar a casa para atender às suas necessidades atuais. Agora na sua terceira renovação, a Kew Residence orgulhosamente se destaca como um livro de memórias eclético das aventuras de John Wardle desde a infância até agora. Localizada no tranquilo subúrbio de Kew, em Melbourne, Austrália, a casa está totalmente inserida na paisagem. Apenas uma grande janela, que se estende por dois andares e está no topo da garagem, é visível ao nível da rua. Somente ao subir os sutis degraus de pedra ao lado da garagem é possível ver a fachada escultural em pedra com tons neutros, que combina a textura áspera das paredes e ferro corrugado. Este arranjo revela um bangalô voltado para o norte da propriedade, oferecendo um refúgio tranquilo, separado da casa. O edifício principal consiste em quatro quartos, dois banheiros, sala de estar/jantar aberta e uma área de entretenimento. A renovação, totalizando 382 m², atinge todos os cantos da casa, trazendo de volta a sua integridade estrutural original e tornando-a mais eficiente em termos energéticos. Madeira cinza e caramelo estão por toda a casa, com áreas como jantar e escritório, capturando a luz salpicada filtrada das folhas exuberantes do entorno. O material serve continuamente como uma tela oportuna para Wardle – até mesmo as paredes do corredor são entalhadas. Crescendo com um fascínio por colecionar artefatos, o famoso arquiteto australiano desejava exibir sua coleção com um “encanto arqueológico e estético”. Seu escritório – anteriormente uma sala de jogos infantil e terraço elevado – agora é decorado com uma parede de cerâmica que se transforma em um armário para armazenar objetos. Outras peças estão espalhadas pela casa, a mesa de jantar feita sob medida, semelhante a um quebra-cabeça e a  cerâmica giratória ao lado da escada são alguns exemplos. Você pode dizer que a casa é realmente uma das obras de arte da coleção – especialmente se levarmos em conta a janela periscópio de Natasha Johns-Messenger na sala de estar, que oferece uma perspectiva bacana do horizonte da cidade. É seguro dizer que o profundo apreço de Wardle pelo artesanato unifica tudo sem esforço. Detalhes intrincados na carpintaria e marcenaria, super bacanas – a bancada da tese de Wardle, de 2001, que pode se transformar em estante de partitura, aguarda um músico para usar o espaço; a cozinha integrada é forrada com ladrilhos INAX côncavos semelhantes a carvão, paralelos à madeira, com robustos armários embutidos complementados por um balcão de ilha com tampo de quartzito sob medida, que fazem bonito. Da mesma forma, um lavabo recém-adicionado ao lado da cozinha é revestido com ladrilhos “de uma amostra rara (feita à mão)” provenientes diretamente de uma fábrica em Taijimi, no Japão – cidade famosa por suas cerâmicas. Wardle explica que “a casa não representa apenas um estilo arquitetônico e, em vez disso, se apoia em várias influências”. Cheio de armários secretos, mas não tão secretos, e uma exibição parecida com um tesouro de bugigangas arqueológicas da infância – mora um charme jovem e nostálgico, explodindo de pura alegria. Linda demais, inpire-se!

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

https://www.johnwardlearchitects.com/

https://www.natashajohnsmessenger.com/

via: Yatzer; fotos: Trevor Mein and Sharyn Cairns

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *