Uma casa de verdade, em Notting Hill, Londres I

Sob a orientação do designer Charles Mellersh, uma residência em Notting Hill, em Londres, torna-se uma casa de verdade

Com sua sede insaciável por conhecimento, Eiesha Bharti Pasricha deve ter sido uma excelente aluna. Em uma manhã clara e arejada, sentada na sala de estar de sua casa em Notting Hill, ela casualmente lista as muitas lições de vida valiosas que aprendeu até agora. Ela aprendeu sobre negócios e filantropia com seu pai, o magnata das telecomunicações Sunil Mittal, e sobre hospitalidade com seu marido, Sharan Pasricha, fundador do grupo Ennismore, proprietário da marca de hotéis Hoxton e do resort Gleneagles na Escócia. Um ano passado como assistente de vendas na Louis Vuitton em Paris a ensinou sobre atendimento ao cliente, e seu investimento na Roksanda, a marca de moda com sede em Londres, a ensinou sobre cores, é claro, mas também sobre arquitetura, com lições do craque David Adjaye. E ela aproveitou todas essas experiências para criar o melhor lar para sua família, marido e um casal de filhos. A menina com seis anos e o menino de quatro. “Sempre quisemos morar em Notting Hill”, explica Bharti Pasricha, recostando-se em um sofá de veludo de mohair cinza. “Sharan e eu nos casamos há nove anos e alguns anos depois começamos a procurar a propriedade certa. Depois de encontrá-la, passamos três anos e meio reconfigurando-a. ” Com a ajuda de um arquiteto de Londres, eles destruíram a propriedade – mantendo apenas a fachada histórica da era vitoriana – para criar uma residência de quase 3 mil m², perfeita para viver e trabalhar. “Em algumas casas, você tem a sensação de que as pessoas vivem em apenas uma parte e o resto é mantido brilhante e novo apenas para entretenimento”, diz ela. “Mas é importante para nós que vivamos em todos os cômodos. Minha filha e eu fazemos a lição de casa aqui no sofá enquanto meu filho toma chá em frente ao fogo. Esta é a casa das crianças. Bharti Pasricha tinha ideias fortes sobre a decoração. “Eu não queria a assinatura de outra pessoa em todo o lugar”, afirma ela. “Me inspirei na moda e nos móveis modernistas e sabia que a cor seria importante, então comecei a colecionar peças que simplesmente amava. No entanto, logo percebi que precisava de alguém para me ensinar como entrelaçar tudo.” Sábia decisão, e o resultado? Incrível. Você confere neste e no próximo post. Aproveite a vista!!

via: AD Magazine

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *