Um chalé atualizado, por Serge Castella

O sussurro constante do Mediterrâneo quebrando contra as rochas e o perfume do salitre e dos pinheiros são a essência desta casa na Costa Brava. Sua arquitetura é testemunha de que aqui a natureza é senhora absoluta, e o local é tão especial que seu proprietário a projetou pessoalmente nos anos setenta. Elevada no penhasco e na beira do precipício, foi projetada como a proa de um navio que cruza as ondas, por isso, seu alpendre principal se estende ao mar com essa forma peculiar. O antiquário e decorador Serge Castella foi o profissional escolhido para trazer o imóvel, encontrado em perfeitas condições, de volta à vida. “Ele foi usado durante os verões, mas nada mais. Quando eu entrei aqui pela primeira vez, foi como voltar a 1974. A casa estava completamente desatualizada, mas ainda assim, o interior era alegre e forte”. O visual dos dois andares do chalé foi unificado. Castella instalou o mesmo parquet nas áreas comuns e quartos, pintou paredes e tetos em branco, e usou mobiliário de design para atualizar a decoração. “Eu queria respeitar o passado desta casa. As pedras tinham uma boa pátina”, diz ele. Com a configuração básica resolvida, Castella começou a trabalhar na decoração e conta que gostou de fazer este projeto, porque está apaixonado pelo Mediterrâneo, pela luz e modo de vida possível em um lugar tão especial. O decorador trabalhou para deixar sua marca: espaços confortáveis acompanhados por uma mistura, como ele diz, “realizada de forma consistente com a cultura e com os volumes arquitetônicos do imóvel”. A base, sempre neutra, é uma plataforma perfeita para mostrar peças bacanas e diferentes. Todas são únicas, o catálogo não existe para Castella, que garimpa pelo globo: a cômoda Maison Bagues, uma poltrona de bambu chinesa do século XIX, metais franceses vintage e uma poltrona de couro do nosso Sergio Rodrigues. “O diálogo estabelecido entre os objetos é importante, eles não devem ser eclipsados, mas fortalecidos. Se a química é percebida na atmosfera, uma energia é gerada e o resultado é um sucesso”. O objetivo final não tem mais pretensão do que ser gentil, elegante e acolhedor. “É para isso que uma casa é concebida”, conclui Serge. Ponto para ele, mais um!! 

Serge Castella: http://sergecastella.com/

via: AD Magazine

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *